Resenha: A Dama das Lavandas 💜

Resenha: A Dama das Lavandas 💜 1

📗 Título: A Dama das Lavandas
✍️ Autora: Anne Valerry
🏢 Editora: Novo Século
💳 Comprar: Amazon | R$ 36,19
Minha Avaliação: 5/5 ⭐⭐⭐⭐⭐
Avaliação Amazon: 4/5 ⭐⭐⭐⭐

Olá queridas leitoras!

Vou começar esta resenha falando que é com muita, mas muita alegria que eu li, adorei e vou resenhar um romance de época escrito por uma brasileira!
Isso mesmo! Nossa querida Anne Valerry é brasileira, apaixonada – assim como nós – por romances e escreveu este lindo livro, que não passará pela sua vida sem deixar suspiros perfumados.

Eu já sigo a Anne no instagram @annevalerry há tempos. Acompanhei toda a divulgação deste romance, publicado pela Novo Século Editora e lançado neste ano de 2020. O que eu não imaginava é que os caminhos de nossos amigos em comum iriam se cruzar e eu ganharia de presente não só o livro, mas o livro autografado pela autora. Que alegria!

Guardarei este exemplar com muito carinho. Tenho certeza de que será uma verdadeira preciosidade lembrar-me dele no futuro. Eu o li em um momento muito especial da minha vida, e – pelo menos para mim – os livros marcam momentos vividos.

O livro tem 436 páginas, divididas em 83 capítulos + o final. A leitura é leve, com uma pegada de humor e bem interessante. Grudei no livro e o li em um só dia. #soudessas

Os clichês que a gente mais ama estão por toda parte, fazendo as leitoras se apaixonarem por todos os detalhes.

A história se passa no ano de 1899, na França. A ambientação é deliciosa. A autora fala de lugares sonhados por todas as românticas do mundo: Provence, Toulouse e Paris. Dá pra imaginar algo mais romântico?

O mocinho, como sempre, é muito rico e muito mulherengo. Não se apaixona, não se entrega e quer todas as mulheres em sua cama – sem compromisso com nenhuma delas. Até o que dia que ele topa de frente com Vic. Será que ali mesmo ele já se deu conta que tudo seria diferente?

A mocinha é forte. Criada por uma querida tia, sem o amor dos pais, mas com um lar cheio de paz e carinho. Ela faz o que ama: lida com flores. Especificamente, lavandas. Ela nem pensa muito no amor, não sobra tempo. Precisa trabalhar e precisa dar um jeito de arrumar grana para saldar as dívidas adquiridas com a baixa produção das últimas colheitas.

Ela até já ouviu falar no milionário maravilhoso Maurice, mas só pela cara dele na foto do jornal já da pra saber que é metido, arrogante e se acha melhor que todo mundo. O tipo de gente ela não precisa por perto e nem faz questão de conhecer.

A trama corre com muitos detalhes e com um drama meio exagerado, em minha opinião. Eu acho poderia ter sido mais romance e menos drama, mas ainda assim, curti muito os momentos de Vic se controlando e sendo forte para fazer o que acha que é certo.

Mas a mocinha é sonhadora também! Fica horas em frente a uma vitrine, namorando um vestido que jamais poderia comprar, quando esbarra em ninguém menos que ele, o cara do jornal, em carne e osso. E aí?

Já Maurice, demorou a engatar no amor. Passou tempo demais achando que todo mundo é leviano e sem profundidade. Ele não acredita no amor e acha que a vida segue seu rumo sem este ingrediente em especial.

A pegada feminista também é evidenciada, já que a mocinha trabalha para si própria, não é refém da sociedade machista, não se dobra pra convenções da época. Bebe vinho, sai com homens solteiros e sonha alto. O seu negócio é perfumado e próspero. #amei

A atual namorada-quase-noiva de Maurice é surtada e achei – em alguns momentos – um pouco exagerado a pegada dela ser superior, rica e milionária. Quase um drama de mentirinha, tamanho o exagero da vilã. Mas ok, a gente queria que a Marcelle caísse num chiqueiro cheio de porcos e lama e vivesse lá para sempre. #coitadodosporquinhos

O Maurice, não podia ser mais sedutor… é dono de vinícolas que estão há anos em sua família. Ele zela pelo patrimônio familiar e é um ótimo filho. Hummm… quem não ama mocinhos que além de tudo ainda são bons filhos?!

Eu confesso que fiquei até o finaaaaal imaginando quando e como aquilo tudo ia terminar. Preferia mais do casal juntinhos, do que dos dramas que os separavam. Mas ainda assim, amei! Ficaram em meu coração as lavandas, o perfume, o sonho alto de Vic, e a determinação dela em fazer as coisas a seu modo. Adorei a Vic!

Leiam a Dama das Lavandas e apaixonem-se por Vic e Maurice. A união das lavandas e dos vinhos, na França do século XIX.

6 Replies to “Resenha: A Dama das Lavandas 💜”

  1. Querida Charlotte, que felicidade saber que você é amiga da Maria Helena. Adorei a sua resenha e espero que possa apreciar os próximos livros também.
    Gratidão!
    Bjs!
    Anne💜

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *